O Brasil vai ser atingido por uma novaonda de calor nos próximos dias. Após algumas semanas com o clima menos extremo, as regiões Sudeste e Centro-oeste podem ver os termômetrosbaterem 40°C, como informa o Climatempo.

O que você precisa saber?

  • País pode ser atingido por nova onda de calor;
  • Começando na próxima quinta-feira (14);
  • E durando até o dia 20 deste mês.

A partir desta quinta-feira (14),  Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, sul do Mato Grosso, norte de São Paulo, grande parte de Minas Gerais, sul do Tocantins e oeste da Bahia devem ser afetados pelo fenômeno que pode durar até o dia 20 deste mês.

De acordo com o Inmet, para ser considerada uma onda de calor, deve-se ter no mínimo cinco dias consecutivos com temperaturas máximas acima de 5°C, em relação a temperatura máxima média mensal. Com isso, o órgão afirma que a previsão para os próximos dias indica o início do alerta para o fenômeno justamente na quinta. Ainda assim, a situação é monitorada diariamente e pode mudar. 

Previsão de temperatura máxima para o dia 16 de dezembro de 2023 às 15h (horário
de Brasília). Fonte: INMET

A previsão do Inmet afirma que no dia 16 de dezembro as temperaturas máximas podem ultrapassar 34°C no centro e sul do País, sendo superiores a 36°C  em Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná. Na Região Norte, os valores de temperatura serão inferiores a 36°C.

publicidade

Em relação às temperaturas mínimas, estas ficam mais amenas no início da semana em áreas das Regiões Sudeste e Sul do País, podendo ser inferiores a 20°C. No entanto, em áreas da Região Centro-Oeste, as mínimas podem ser superiores a 26°C.

Ainda não existe previsão detalhada para todos os dias e regiões nas próximas semanas, mas o Climatempo prevê que algumas cidades específicas como Corumbá, no Mato Grosso do Sul, e São Romão, no Mato Grosso, devem superar os 40°C com a nova onda de calor.

Leia mais

Onda de calor: novembro mais quente da história

Pelo sexto mês consecutivo o mundo bateu recordes de temperatura. De acordo com o anúncio do observatório europeu Copernicus feito nesta quarta-feira (6), novembro de 2023 foi o mais quente da história.

O mundo vem registrando esses recordes de forma consecutiva desde junho. Aliás, por conta disso, 2023 já é considerado o ano mais quente já registrado. O caso também não é isolado, já que os últimos oito anos formam o período mais quente da história.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou durante a abertura da COP-28 que estes recordes de temperatura deveriam “fazer os líderes mundiais suarem frio”. “Isto é mais do que apenas estatísticas”, completou ainda Taalas. “Corremos o risco de perder a corrida para salvar nossas geleiras e frear o aumento do nível do mar”, disse ele.

A temperatura média do ar em novembro foi de 14,22°C, 0,85°C acima da média de novembro de 1991-2020 e 0,32°C acima do novembro mais quente anterior, em 2020.