O X (antigo Twitter), de Elon Musk, parece ter virado um paraíso para golpistas especializados em mineração de criptomoedas. Em especial, graças a uma política frágil de moderação dos anúncios na rede social.

Nas propagandas fraudulentas, há links para esquemas de furto de criptomoedas (scam), falsas campanhas de airdrops e outros tipos de golpes. Frequentemente, os anúncios levam o usuário para canais do Telegram onde há sites de phishing e páginas com scripts maliciosos que drenam criptomoedas, roubando ativos de carteiras digitais conectadas.

Leia também:

O algoritmo do X direciona esses anúncios nocivos em maior volume para quem justamente atua com moedas digitais (com base nos interesses do usuário da rede social). Segundo informações do Bleeping Computer, os relatos são de um aumento preocupante na frequência de anúncios mal-intencionados.

publicidade

Golpistas com “selinho azul” do X

Usuários têm até deixado notas da comunidade nos anúncios, para advertir os demais na rede social sobre os riscos. Apontando também que as vítimas têm perdido muito dinheiro. Em dezembro, a plataforma especializada anti-scam Scam Sniffer informou que um drenador de criptomoedas promovido no Google e nos anúncios do X, roubou US$ 59 milhões de mais de 63 mil vítimas em nove meses.

Porém, para deixar tudo ainda mais desolador, muitas vezes, os anúncios infectados com esquemas para roubo de criptomoedas são associados a contas verificadas do X (com o selo azul). Não à toa, a fragilidade do processo de verificação de anúncios e da moderação de conteúdo em geral tem sido um dos principais alvos de críticas desde a chegada de Elon Musk à frente da rede social.