A companhia Oura lançou recentemente um novo recurso para seu popular anel Gen3 de rastreamento do sono: a capacidade de monitorar e ver tendências no estresse do dia a dia. Não muito tempo depois, um tópico intrigante apareceu em um fórum online dedicado ao anel da Oura. Segundo o site Mashable, alguns dos 40 mil membros ficaram perplexos com o que o aplicativo relatou sobre seus níveis de estresse.

Leia mais:

Para a surpresa dos usuários do anel, o aplicativo apontou que eles pareciam estar sempre estressados. Alguns se perguntaram se o novo recurso tinha bugs. Mas outros não gostaram da forma como os dados os fizeram sentir, sugerindo as implicações não intencionais do rastreamento para a saúde mental.

“Estou estressado oito horas por dia desde que esse novo recurso foi lançado, o que está me deixando estressado”, escreveu um comentarista. “Como faço para desligar?”, completou.

publicidade

O debate acabou sendo direcionado para uma tensão que persiste sobre os esforços para monitorar ou mesmo vigiar a sua própria saúde 24 horas por dia.

Dr. Vaile Wright, psicólogo e diretor sênior de inovação em cuidados de saúde da Associação Americana de Psicologia, disse que esses resultados diferentes dependem da pessoa.

“Para alguns, o rastreamento fornece uma capacidade crítica para reconhecer e identificar os gatilhos”, disse Wright. “Para outros, no entanto, poderia realmente aumentar o estresse, a angústia e a hiper vigilância”.

Anel inteligente Oura Ring em cima de pedra
(Imagem: Divulgação/Oura)

O monitoramento diário do estresse pelo anel da Oura:

  • O anel mede o estresse diurno monitorando continuamente a temperatura, a frequência cardíaca e a variabilidade da frequência cardíaca;
  • Maior variabilidade na frequência cardíaca pode sugerir resiliência ao estresse, enquanto menor variação pode indicar que o sistema nervoso do corpo está em dificuldades;
  • Certos fatores podem dificultar a coleta de dados confiáveis pelo anel. Mãos frias ou um anel mal ajustado podem causar falhas no rastreamento;
  • O algoritmo de Oura exclui exercício ou movimento da sua análise de estresse para não confundir as demandas físicas de um treino, por exemplo.

Alternativas

No início, a Oura não oferecia ferramentas de gerenciamento de estresse juntamente com seu recurso de monitoramento. Agora, o aplicativo sugere conteúdos de relaxamento de uma plataforma de meditação e bem-estar, a Headspace, quando são detectados níveis elevados de estresse.

Um recurso de “reflexões” nos testes beta permite que os usuários façam anotações sobre suas experiências diárias. Em um cenário ideal, a ferramenta ajudará os interessados a fazer conexões entre altos e baixos em seu estresse diurno, compreendendo os motivos de momentos desencadeadores, de descanso e restauradores.